Artigos

COMO PASSAR NAS PROVAS DE HABILIDADES ESPECÍFICAS

Os Testes de Habilidades Específicas (THE) são requisitos da maioria das faculdades e universidades brasileiras, para que o aluno ingresse no curso de Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Design, Artes Plásticas e Cênicas. Em linhas gerais, os objetivos dessas provas são avaliar a capacidade de raciocínio lógico do candidato, sua percepção visual, habilidade manual, capacidade de pensar (resolver problemas) e transportar uma ideia para o papel. No caso da Arquitetura e Urbanismo, dependendo da instituição outros requisitos – como domínio do desenho a mão livre e construção da imagem; capacidade de interpretação de temas, conhecimento da geometria e funções e representação tridimensional – também são exigidos.

Assim como o professor tem que se preparar adequadamente para dar uma boa aula; a bailarina precisa se preparar bem para uma apresentação de dança, e assim por diante, o candidato a uma vaga na universidade também precisa se preparar para enfrentar essas provas, conhecer seu funcionamento e se dedicar.

A primeira dica é fazer um bom curso preparatório, que tenha o desenho como base, mas que também explore a criatividade e faça o aluno refletir sobre várias questões da área que pretende atuar.

Como essas Provas Funcionam?

Entender como as Provas funcionam é o primeiro passo para quem pretende fazer os Testes. Para isso, as instituições disponibilizam o Manual do Candidato, que orientam o aluno como proceder.

Na grande maioria dos casos, as provas exigem habilidades de desenho. No entanto, algumas Faculdades e Universidades vão além e podem solicitar geometria, estruturas tridimensionais ou até colagem. Uma das principais funções do Teste de Habilidades Específicas é tentar conhecer a capacidade de o candidato pensar e resolver problemas; como transportar uma ideia para o papel.

A professora Cláudia Azevedo, da Universidade de Brasília (UnB), nos conta um pouco sobre como funciona o exame da instituição. “O processo é constituído por testes escritos e (ou) práticos e requer apresentação de portfólio para o curso de Artes Visuais.” – explica. Mas garante que somente a aprovação na Habilidade Específica não garante o acesso ao curso.

Evandro Ziggiatti Monteiro, professor e coordenador da prova de aptidão em Arquitetura da FEC-UNICAMP, dá as principais diretrizes sobre a prova da Instituição.

“A Unicamp procura insistir muito na necessidade do desenho ser ministrado desde cedo nas escolas, no ensino fundamental. A linguagem do desenho como percepção gráfica tem que fazer parte do conteúdo mínimo. A arte, nesse caso, tem que vir antes.” – comenta.

“Temos sempre uma prova de manhã ligada ao entendimento do espaço geométrico do arquiteto e uma prova à tarde relacionada à expressão, memória e criatividade. Esse formato tem sido muito produtivo”, garantiu o coordenador.

Na visão da aluna Caroline Barcellos que prestou a Certificação de Habilidade Específica da UnB (Universidade de Brasília), na prova há exigências de habilidade de desenho, memória, raciocínio espacial e criatividade. “É uma prova com tempo de duração razoável, porém cansativa e que exige muito esforço manual, pelo fato de desenhar muito e em alguns casos, pintar.” – acrescenta.

A Importância do Desenho:

Em relação à Universidade de Brasília, a diretora da Fábrica de Arte esclarece, ainda, a importância da qualidade do desenho. “As provas de Arquitetura exigem qualidade no desenho, criatividade, conhecimento de perspectiva, luz e sombra, raciocínio espacial, projeções ortogonais, teoria da cor e da forma, etc.”.

O ideal é que os alunos leiam com bastante atenção ao edital da universidade onde pretende ingressar para verificar especificidades tanto de conteúdo como os tipos de materiais solicitados. Abaixo, será discorrido um pouco mais do exame da Universidade Estadual de Campinas de 2017.

Avaliações:

Como na maioria dos casos muito candidatos concorrem a poucas vagas, os critérios de avaliações selecionam os resultados em três categorias:

  1. Acima da Média – Trabalhos excelentes, cujo índice de aprovação é praticamente garantido;
  2. Na Média – São as provas que tiveram um desempenho razoável e, por isso, vão depender da quantidade de vagas preenchidas com os trabalhos considerados acima da média;
  3. Abaixo da Média – são aqueles trabalhos cujos candidatos não se preparam e não cumpriram com as exigências mínimas.

 

O carro da esquerda representa um desenho acima da expectativa, enquanto o da direita representa um desenho abaixo da média.


Melhor Forma de se Preparar para o Teste de Habilidades Específicas

A professora Cláudia Azevedo orienta que a melhor forma de se preparar é conhecendo e resolvendo provas anteriores. No caso da CESPE/UnB, algumas ficam disponíveis no site. “Os alunos devem se preparar  com estudos e treinamento de desenho ou  em cursos específicos de preparação para essas provas. Isso auxiliará a melhor entenderem os enunciados da prova e no desenvolvimento de técnicas básicas de desenho.” – aborda Cláudia, que dirige a Fábrica de Artes em Brasília.

A aluna Caroline Barcellos também fala sobre ter ingressado em um curso preparatório. “Primeiramente eu procurei um curso específico para me preparar para a prova”.

O professor Monteiro dá a importante dica de o aluno sair pela cidade com um caderno de croqui e desenhar o que for de seu interesse. “A linguagem do desenho não é difícil, porém deve ser exercitada”, alertou. “E é esse o problema: o aluno precisa refinar seu trabalho para chegar à faculdade e ‘nadar de braçada’. Caso contrário, perderá muito tempo para engrenar no conteúdo do que na verdade seria uma questão básica.”

Dicas Importantes Sobre o Teste de Habilidades Específicas

Reproduzimos abaixo, algumas dicas sugeridas pelo Guia do Estudante para os alunos que enfrentarão o Teste de Habilidades Específicas.

  • 1) Use bem a folha, pense no enquadramento do desenho
  • 2) Decidido o desenho, faça-o até o final
  • 3) Pense no peso visual final do trabalho
  • 4) Não experimente novos materiais ou novas técnicas
  • 5) Controle bem o tempo
  • 6) Já tenha uma linguagem gráfica previamente decidida na colagem
  • 7) Tente não usar borracha no desenho
  • 8) Leve sempre material extra, especialmente daquele que costuma usar mais (por exemplo, se usa muito lápis, tente levar dois para a prova)
  • 9) Seja cuidadoso com a poética, mas evite romantizar demais na prova
  • 10) Confira todos os materiais, até os mais banais, pois estes são os que os candidatos mais se esquecem de levar para a prova.

Para saber sobre o Programa de Habilidades Específicas, oferecido pela ABRA – Escola de Arte e Design, clique aqui.

Fontes:

www.desenhoelinguagem.com.br

https://ultimosegundo.ig.com.br

http://44arquitetura.com.br

Outros links úteis:

http://vestibular.brasilescola.com/especial/habilidades-especificas.htm

http://www.comvest.unicamp.br/vest_anteriores/provas_comentadas.html

http://www.cg.fau.usp.br/Vestibular.asp

http://www.provasdevestibular.com.br

http://www.fuvest.br/vest2013/manual/fuv2013.manual.pdf

http://www.comvest.unicamp.br/vest2013/download/manual2013.pdf

http://www.vunesp.com.br/VNSP1215/VNSP1215_306_001869.pdf

http://www.cops.uel.br/vestibular/2013/manual_do_candidato.pdf

Dúvidas e sugestões: lgalesso@abra.com.br

Comentários