Câmeras fotográficas: quais os principais modelos disponíveis? Academia Brasileira de Arte -

Iniciar na fotografia, seja profissionalmente, seja apenas como hobby, traz muitas dúvidas na hora de escolher os equipamentos. Isso porque temos uma imensa variedade de câmeras fotográficas disponíveis no mercado, para atender os diversos tipos de necessidades, assim como caber nos bolsos dos usuários. 

Hoje falaremos um pouco mais dos principais modelos de câmeras fotográficas digitais, para o que são mais indicadas e também quais os modelos mais acessíveis para quem está começando. 

Câmeras fotográficas digitais ou smartphones? 

Primeiramente vale comentar sobre a questão dos smartphones, que para muitos tem sido o principal instrumento fotográfico. Apesar de cada vez mais termos aparelhos que tragam uma qualidade de imagem muito boa, para fotos profissionais, as câmeras fotográficas ainda são a melhor opção. 

Entre as principais vantagens, temos a questão da possibilidade de mudanças de lentes, com captura de movimento, próprias para esportes radicais, etc. Sendo assim, mesmo com uma boa qualidade de imagem e até possibilidades de edição, em muitos casos as câmeras digitais são as que vão atender ao que o fotógrafo necessita. 

Câmera fotográfica DSLR 

Para começar, vamos falar do modelo que costuma ser o mais usado por iniciantes e também por profissionais, por conta de sua versatilidade. Esta é a versão digital da SLR, que é a sigla para “single lens reflex” (ou câmera reflex de lente simples) e traz uma grande variedade de recursos e qualidade profissional de imagens. 

Entre as vantagens dos modelos DSLR temos: 

  • O sistema de espelhos dentro do corpo da câmera. Junto com uma lente condensadora e um pentaprisma, eles permitem que o fotógrafo veja a luz e a cena através do visor; 
  • Lentes intercambiáveis. Ou seja, você pode capturar os mais diferentes tipos de situações, desde que escolha o modelo adequado de lente. Porém aqui vale dizer que não é a única que possibilita isso; 
  • Modelos para todos os bolsos. Temos aqui muitos modelos de “entrada”, até aqueles que possibilitam capturas de imagens em 4K. 

Sobre estes modelos de maior ou menor custo, podemos falar dos full frame e dos cropados. A principal diferença entre eles está no tamanho do sensor da imagem, o que impactará diretamente na resolução da imagem. Aqui abriremos um rápido parênteses para explicar o funcionamento dele nas câmeras fotográficas digitais. 

modelo DSLR da Canon

Sensor e “fator de corte” 

O avanço tecnológico das câmeras fotográficas digitais fez com que o sensor substituísse o filme da câmera analógica. Ou seja, ao tirar uma foto com o modelo moderno, será ele a captar as imagens às quais o equipamento será exposto quando o botão de disparo for acionado. 

A partir disso, entra o sensor full frame e o cropado, que tem diferentes “fatores de corte”. Este refere-se ao tamanho deste sensor e o quanto a imagem será cortada em relação aos filmes analógicos.  

Por exemplo: o sensor full frame tem 35mm, que é do mesmo tamanho da grande maioria dos filmes analógicos. Por outro lado, as com sensor cropado trazem um sensor menor que este, mas sem um tamanho exato definido.  

Ou seja, na prática, as câmeras full frame captam a imagem da forma mais completa, enquanto os sensores cropados, cortam parte dela. Contudo, é importante dizer que isso não impacta nos megapixels da foto, mas sim na área captada.  

Isso significa que uma câmera full frame e outra cropada podem ter a mesma quantidade de megapixels, mas ainda sim a qualidade da primeira será superior, por conta da área de captura do sensor.  

Como as de sensores cropados são mais baratas, fotógrafos iniciantes optam por esses modelos. Enquanto isso, os profissionais, que necessitam de uma imagem maior e com o máximo de qualidade possível, optam pela full frame. 

Câmeras fotográficas mirrorless 

As câmeras sem espelho na parte mecânica, vêm ganhando espaço entre os fotógrafos, especialmente pelo fato de elas terem um tamanho reduzido em relação aos modelos DSLR tradicionais. A vantagem é que o design pode ser menor, mas não há perda significativa de qualidade de resolução ou mesmo de recursos. 

Para entender melhor: enquanto nas DSLR há um que redireciona a luz vista pela lente para o visor óptico, nas mirrorless a luz entra e atinge diretamente o sensor, sem passar por ele. Com isso, você não poderá mais ver a imagem pelo visor óptico, mas apenas pela tela LCD. Vale dizer ainda, que elas também têm as opções de sensor full frame ou cropado. 

Modelo mirrorless da Nikon

Câmeras fotográficas compactas 

Estes modelos são conhecidos como “point-n-shoot” (apontar e clicar). Elas costumam ser bem mais fáceis de operar que outros modelos, pois possuem modos de ajuste automático de configuração, possibilitando capturas rápidas de momentos sem precisar de maiores ajustes. 

Além disso, elas têm formatos ainda mais reduzidos, sendo praticamente “câmeras de bolso”. Elas também costumam ser mirrorless, tendo uma tela LCD para ver as imagens, além de um flash embutido.  

As câmeras fotográficas compactas costumam ter modelos com zoom embutido ou avançado. O primeiro, como o próprio nome diz, oferece uma capacidade de ampliação da cena bastante considerável. 

Enquanto isso, o segundo nos traz melhores controles de disparo (o modo “manual”) bom desempenho em ambientes mal iluminados, alta velocidade e boa performance na captura de vídeos Full HD progressivos. Por fim, alguns modelos oferecem até a possibilidade de troca de lentes, sendo estes menos comuns.

modelo câmera compacta Fujifilm

Câmeras de ação 

Sendo indicadas para quando se está praticando algum esporte radical e você precisa de captura rápida de imagens. Elas são muito menores que os modelos tradicionais e até que as compactas e não oferecem tantas configurações para captura de imagens.  

As vantagens dela são absorção de choque, proteção contra intempéries e até mesmo impermeabilização, necessidades comuns para preservar a integridade do equipamento. Além disso, trazem um sistema de estabilização mais avançado, possibilitando vídeos menos tremidos mesmo em situações adversas. 

Elas não costumam ter telas LCD, pois priorizam performance e tamanho reduzido. Outra vantagem é a sua velocidade, que permite capturar várias imagens por segundo em resolução máxima. Finalmente, temos a questão de elas darem a possibilidade do usuário acoplar nos mais variados lugares como capacetes, pulseiras, roupas, etc.  

modelo de câmera de ação da GoPro

Considerações finais 

Trouxemos alguns dos principais modelos de câmeras, dentre os muitos disponíveis no mercado. Como puderam ver, há uma imensa variedade, que visa atender às mais variadas necessidades, assim como oferecer modelos que possibilitam uma captura de imagem boa, a um preço mais acessível. 

Cabe ao usuário sempre que for procurar alguma, entender exatamente aquilo que necessita, para que assim possa escolher aquele modelo que mais se encaixa, podendo até deixar de lado algumas especificações que não necessita, de forma a conseguir encontrar um modelo bom e menos dispendioso (especialmente no caso de iniciantes). 

 

Exercite sua criatividade na ABRA

Ficou interessado no assunto? Conheça os cursos da ABRA e venha exercitar a sua criatividade. 

Temos opções Presenciais, Online e EaD ao Vivo.