Desenho técnico: desenho precisos para projetos variados Academia Brasileira de Arte -

Muitas pessoas em algum momento da vida devem ter se deparado com um desenho técnico. Pode ter sido um projeto para o ambiente da casa, pode ter sido o de um arquiteto projetando a própria casa, entre outros. Eles possuem um conceito uniforme de serem feitos (ainda que algumas métricas possam variar de país para país). 

Há uma explicação para isso, que falaremos mais abaixo, assim como os usos e materiais comuns para execução de um desenho técnico. 

O que é um desenho técnico? 

Por uma definição simples, trata-se de uma representação gráfica de uma peça, instrumento, objeto ou construção no papel ou virtual. Sua finalidade é expor medidas, cortes, posicionamentos e entre outros parâmetros para a melhor representação do componente. Dessa forma, visa-se uma padronização para replicá-lo de forma fiel. 

Uma das principais bases do desenho técnico é a sua geometria descritiva, pois a partir de projeções ortogonais, os desenhistas trazem uma representação gráfica das diferentes vistas e perspectivas do objeto em questão.  

O desenho técnico deve sempre seguir determinadas normas padronizadas. Seu objetivo é evitar qualquer margem para interpretações subjetivas dele. Sendo assim órgãos reguladores nacionais e internacionais estabelecem critérios de ilustração que facilitam esse entendimento universal da figura. 

No Brasil isso é feito pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Entre os muitos critérios determinados por ela estão: espessura e traçado das linhas, além da utilização de siglas e termos que referenciam certo padrão preestabelecido.

Quais os materiais utilizados para fazê-lo? 

Apesar de atualmente termos boa parte dos profissionais se valendo dos ambientes virtuais para fazerem os desenhos técnicos, muitos ainda o fazem do jeito tradicional. Vamos então falar um pouco de cada um deles: 

  • Desenhos em ambientes virtuais – estes são feitos através dos softwares “CAD” (ou desenho assistido por computador, em português). Por exemplo: o próprio AutoCAD; 
  • Desenho físico – este é feito utilizando-se uma prancheta. Os materiais mais comuns aqui são a régua paralela, o escalímetro, compasso, gabaritos, esquadros, etc. 

É importante lembrar que, independentemente da facilidade que os programas CAD oferecem, é fundamental o conhecimento do desenho técnico para se fazer um projeto virtual de forma correta. 

Elementos necessários em um desenho técnico 

Ao fazer um desenho técnico, ele deve conter determinados elementos, a saber: 

  • Geometria Descritiva – vistas ortogonais, cortes, seções, determinação de distâncias, áreas e planificação de sólidos; 
  • Perspectivas – métodos ilustrativos de representação do espaço e de objetos. Dentro desta temos as seguintes opções: perspectiva isométrica, que é método de representação paralela que se desenvolve a 30º, cujas medidas dos eixos principais permanecem inalteradas, a perspectiva cavaleira, que é o método paralelo mais comumente representado a 15, 30, 45 e 60 graus, que adota reduções para as diagonais da profundidade. Por fim, temos a Perspectiva do arquiteto: método com dois pontos de fuga; 
  • Números padronizados respeitando as normas ABNT – ou seja, largura, profundidade, espessura, entre outros, sempre seguindo as normas vigentes; 
  • Desenho Geométrico – construções fundamentais e concordâncias. 

Além disso, é fundamental especificar a escala do desenho, que pode ser de três tipos: 

  • Escala de tamanho natural, quando a proporção é de 1:1 
  • Escala de ampliação, quando temos um desenho maior que o objeto. Neste caso temos escalas 2:1 (duas vezes maior), 5:1 (cinco vezes maior), etc; 
  • Por fim, temos a escala de redução, quando o desenho é menor que o objeto. Já aqui temos as escalas 1:2 (metade do tamanho), 1:4 (um quarto do tamanho), etc. 

Áreas de trabalho de um desenhista técnico 

Finalmente chegamos às áreas de atuação de um profissional que trabalha com desenho técnico. Até pela versatilidade e pela necessidade de seu uso nos mais diferentes ramos da indústria, a área de trabalho é bastante abrangente. 

Para facilitar, vamos dividir as áreas através dos tipos de desenhos presentes nela: 

  • Desenho arquitetônico – usa-se em projetos de arquitetura, design de interiores, engenharia, paisagismo, entre outros; 
  • Desenho de moda – serve para desenhar a estrutura técnica das roupas e servir de molde para produção; 
  • Projetos com desenho mecânico – este feito para os mais variados produtos da indústria em geral. Contudo, os encontramos especialmente em projetos para máquinas, motores, peças mecânicas, etc; 
  • Desenhos topográficos – voltados especificamente para levantamentos topográficos de determinados terrenos ou regiões. Normalmente temos eles associados aos desenhos arquitetônicos. 

Exercite sua criatividade na ABRA  

Ficou interessado no assunto? Conheça os cursos da ABRA e venha exercitar a sua criatividade.

Temos opções Presenciais, Online e EaD ao Vivo