O designer têxtil na história da indústria - Academia Brasileira de Arte Academia Brasileira de Arte -

Você

Ainda Tem:

dias
0
6
horas
0
1
minutos
0
2
segundos
4
3

5% OFF

Taxa de Matrícula Isenta

3º Lote Até Dia 31/07

A moda, mesmo para aqueles que não acompanham as tendências, é um elemento presente em nossas vidas. Toda roupa criada, se não inspirou, foi inspirada por essa indústria. Dentro dela, a função do designer têxtil tem importante destaque, como sendo aquele que cuida dos mais diversos tipos de estampas presentes nas vestimentas que utilizamos. Agora vamos falar um pouco mais desse profissional, do surgimento dessa função, até sua atuação nos dias de hoje.

Design têxtil na história

Primeiramente, precisamos pensar no design têxtil e seu conceito. Se buscarmos a origem dele, as pinturas corporais e tatuagens de povos primitivos são as primeiras mostras da técnica na humanidade, pois falamos de padrões pensados e organizados (mesmo que seja no corpo). Passando para o uso em tecidos, entre os séculos VI e V a.c. estão os relatos das primeiras técnicas de estampas, que utilizavam ácidos e tintas naturais.

Ainda nesse mesmo período, temos relatos do uso de xilogravura (que seria a estampa utilizando blocos de madeira) na índia. Contudo aqui há uma dúvida se o surgimento se deu primeiro lá ou na China, que utilizava uma técnica similar, mas ao invés da madeira, eram blocos de terracota ou metal. A diferença é que neste último, a utilização era para aplicação em papéis.

Já na Idade Média temos o surgimento do estêncil, que se trata do recorte de um molde vazado a partir de diferentes materiais e a sobreposição de várias lâminas, uma para cada cor, formando-se um desenho por onde a tinta passa. No século XVI, voltamos a Ásia (mais precisamente a Indonésia), onde originou-se o batik. A técnica consiste em aplicar cera sobre o tecido e pintá-lo. Posteriormente, retira-se ela, revelando os padrões, pois ela impede a passagem da coloração.

Chegando ao século XVII, temos a impressão por cilindros, que revolucionou a indústria pela maior rapidez e eficiência de aplicação, além do silk-screen ou impressão por quadros, já chegando nos anos 1900. Por que citar as duas juntas? Porque ambas formaram o “cilindro rotativo” em 1962, que levou esse processo à escala industrial. Finalmente temos as técnicas mais modernas de “termo impressão” e “impressão digital”, sendo a última já do final do século passado.

A atuação do designer têxtil

Após essa pequena viagem na história, precisamos considerar que em todos esses momentos, a figura do designer têxtil esteve presente (inclusive na criação desses sistemas). Esse profissional é o que cria os desenhos e estampas que estarão nas mais diversas superfícies.

Apesar de ele estar mais relacionado a roupas, o designer têxtil também pode criar desenhos e padrões para tapeçarias, mobiliários, até mesmo capas de celular. Tanto que muitos deles, também atual na área de decoração, sendo design de interiores e tendo foco em criações para os mais diversos tipos de ambientes.

Tendo isso em mente, podemos ver que uma das principais necessidades do profissional é conhecer o tipo de tecido ou material utilizado e o processo industrial pelo qual ele passará. Juntamente com isso, conhecer o ambiente onde ele estará inserido (válido tanto para roupa, quando para objetos de decoração) também é fundamental.

Conhecimentos necessários para o designer têxtil

Como nosso foco aqui são roupas, vamos observar os aspectos importantes do profissional com as vestimentas. Primeiramente um designer têxtil precisa ter em mente a finalidade do uso. Por exemplo: saber se é uma roupa para praia ou dia a dia, pois isso influenciará na escolha das estampas e cores delas.

A criatividade sem dúvida é outro ponto fundamental para o profissional. Entretanto aqui, ter conhecimento dos diversos processos de estamparia é tão importante quanto. Indo desde os mais antigos (citados anteriormente), até os contemporâneos como serigrafia, impressão digital, transfer, sublimação etc.

Por fim, alguns outros conhecimentos técnicos importantes:

  • conhece e dominar editores de imagens.
  • saber utilizar editores de imagens vetoriais, como por exemplo, o Adobe Illustrator.
  • habilidades de ilustração digital.
  • conhecimentos sobre paletas de cores.

Aprenda estamparia têxtil na ABRA

Aqui na ABRA temos o curso de Estamparia Têxtil Digital. Ele visa desenvolver a criatividade do aluno, incentivando-o a buscar, realizar e ousar na criação de desenhos exclusivos, respeitando as técnicas, tecidos e tendências do mercado. Conheça nossas opções presencial e EaD ao Vivo e faça sua matrícula agora mesmo!