A Noite Estrelada: uma obra-prima de Van Gogh - ABRA Academia Brasileira de Arte -

Hoje ao falarmos de Vincent Van Gogh, lembramos de um dos maiores artistas da história. Entretanto também foi o talvez o que menos teve esse reconhecimento em vida. Durante sua curta, mas intensa carreira, de mais de 2.500 peças de arte (sendo 900 pinturas), ele conseguiu vender apenas uma: A Vinha Encarnada.

Van Gogh pintou dos 27 aos 37 anos e uma das marcas das suas obras era a relação delas com suas emoções. Por exemplo, em períodos de maior paz (ele era depressivo), suas pinturas muitas vezes mostravam tons claros. Por outro lado, nos momentos de maior crise, os tons eram mais escuros.

Um dos períodos mais ativos do artista, foi durante o pouco mais de um ano que ele viveu no asilo psiquiátrico Saint-Paul-de-Mausole. Lá ele concluiu 150 pinturas e entre elas uma das mais famosas do pintor pós-impressionista e dos pioneiros da arte moderna: A Noite Estrelada.

A história por trás de “A Noite Estrelada” 

Van Gogh não era conhecido por pintar o abstrato, mas sim por pintar paisagens, natureza-morta etc. Nos últimos anos de sua vida, retratar a noite e suas cores era uma das grandes obsessões do artista. Aí que entra a primeira de suas obras noturnas: “Noite Estrelada Sobre o Ródano”. Esta trouxe uma inovação na forma de pintar “efeitos noturnos”.

Noite Estrelada

Noite Estrelada Sobre o Ródano

Ela traz vários outros elementos fascinantes, porém algumas coisas saltam à vista: a preocupação dele com as cores serem as mais fiéis (como ele comenta em uma carta para seu irmão Theo), o conhecimento dele de astronomia (pode ser visto na retratação da constelação da Ursa Maior). Por fim o traço suave, onde vemos um dos últimos momentos de paz de espírito do artista.

Pouco tempo depois, ele voltou a sofrer com problemas de ordem emocional, agravados pela sua briga com seu amigo, o também pintor Paul Gauguin. Foi nesta época que ele teve o colapso nervoso que o levou a cortar a orelha e posteriormente sair de Arles, para se internar nas proximidades de Saint-Rémy-de-Provence.

Apesar de agora não ter mais a liberdade de sair, Van Gogh seguia fascinado por retratar a noite e poucos meses depois, pintou o quadro mais famoso dos dois, chamado simplesmente de “A Noite Estrelada”.

Analisando os detalhes de A Noite Estrelada 

Noite Estrelada

A Noite Estrelada

A mais famosa das duas pinturas, de início já nos traz uma grande diferença para sua antecessora: as espirais no céu. Comuns nas obras desta fase do pintor, além de dar a ideia de movimento, também servem para destacar o momento emocional turbulento que Van Gogh vivia.

Ainda no céu, posteriormente biógrafos constataram que o céu era de uma janela à leste da cela em que o pintor ficava. Só que ele não tinha autorização para pintar lá, mas sim usava um outro local como estúdio.

O que ele fez foi se utilizar de carvão e papel para fazer um rascunho para depois passar para a tela.

O que estudiosos concluíram é que mesmo com estrelas tão grandes (algo que incomodou Van Gogh), elas estavam corretamente colocadas, assim como a Lua. O destaque fica para a “Estrela D’alva” (Vênus), a maior na pintura, que depois conclui-se que não só ela estava visível no dia, mas também com seu brilho no máximo.

Como dito anteriormente, Van Gogh retratava sempre cenários que via, mas a vila que vemos na tela, não faz parte do cenário que ele tinha de sua cela. Aqui estudiosos divergem sobre as razões da escolha, porém muitos acreditam que se tratava de um rascunho de algum lugar onde ele já havia morado e que ele optou por colocar como uma lembrança nostálgica de tempos de paz.

Por outro lado, importante destacar que o cenário de fundo, era exatamente a visão de sua janela. Por fim temos o Cipreste, que era uma árvore recorrente nas obras de Van Gogh. O artista era fã das formas incomuns da árvore, da sua fluidez e no quadro ela é retratada semelhante a uma chama, que sobe aos céus.

Para muitos a simbologia dela ali era relacionada à morte, pois assim ela é associada em muitas culturas europeias. No entanto, tem quem considere que sua presença ali por uma visão mais positiva, como uma ligação entre céu e terra.

Curiosidades 

  • O cenário da janela de sua cela, foi utilizado em mais de 20 obras do pintor;
  • Nunca tivemos as barras de ferro da cela onde o pintor ficava, retratados em suas obras;
  • Outros de seus principais trabalhos como “Lírios” e “Autorretrato”, também são deste período de reclusão;
  • Atualmente “A Noite Estrelada” está exposta no MoMa (Museu de Arte de Nova Iorque). Enquanto isso a “Noite Estrelada Sobre o Ródano” está no Musée d’Orsay, em Paris;
  • Van Gogh possui uma ala com seu nome no hospital onde ele ficou.

Aprenda pintura na ABRA

Gostou deste quadro? E que tal se fosse possível fazer um curso acadêmico completo, com acompanhamento individualizado, no conforto e segurança de sua casa? O curso “Pintura Acadêmica: Formação Completa” da ABRA é o mais completo no mercado.

Conheça agora mesmo os benefícios e metodologia do curso clicando aqui e faça sua matrícula agora mesmo!