Quais são as 7 artes? - Academia Brasileira de Arte -

Você

Ainda Tem:

dias
0
6
horas
0
1
minutos
2
2
segundos
4
6

5% OFF

Taxa de Matrícula Isenta

3º Lote Até Dia 31/07

Você já parou para se perguntar quais são as 7 artes? Afinal, usamos com frequência o termo sétima arte para nos referirmos ao cinema. Recentemente, durante a premiação do Oscar, você deve ter visto essa expressão o tempo todo.

Mas se o cinema é a 7ª arte, quais são as outras 6? Por que elas têm esse nome? De onde surgiu?

Este texto visa esclarecer tudo sobre as 7 artes, e dar dicas de como desenvolver o seu talento nelas.

Conhecendo as 7 artes clássicas

Há um pouco de divergência sobre a lista e a ordem exata das 7 artes clássicas, mas a maior parte da literatura apresenta da seguinte forma:

  1. Arquitetura
  2. Escultura
  3. Pintura
  4. Música
  5. Literatura
  6. Dança
  7. Cinema

É difícil estabelecer um ponto de início para esta discussão, que foi travada durante décadas por diversos filósofos. Porém, é consenso no meio artístico que o ponto mais importante dessa denominação foi o “Manifesto das Sete Artes”, de Ricciotto Canudo. O intelectual italiano escreveu, em 1923, este documento que estabelecia as 7 artes clássicas.

Muito se discute até hoje a respeito dessa lista, uma vez que deixou elementos conhecidos e importantes de fora. Teatro, Coreografia, Ilusionismo, Fotografia, HQ e até mesmo Arte Digital não fazem parte dessa lista. O argumento dos que defendem a concepção mais clássica e conservadora é que estas formas de arte na verdade são a mistura de outras. O teatro, por exemplo, é a junção de diversas artes: literatura, pintura, dança e música.

Fato é que a soma das artes compõe quase todo o lazer, beleza e cultura de nossa vida moderna. Afinal, o que seria das nossas vidas sem um destes 7 elementos? Pode até ser que você não goste de um ou de outro, mas a composição deles é fundamental para o estabelecimento de nossa identidade cultural.

É possível conhecer um país, sua história e tradições, por meio das manifestações culturais. Investir em artes, mais do que um lazer ou passatempo, é saber aprofundar as raízes de um determinado grupo de pessoas. Pensando nisso, resolvemos apresentar um pouquinho de cada uma dessas artes.

Arquitetura: a primeira das artes

Talvez seja uma das primeiras manifestações artísticas do ser humano. Arquitetura é “toda construção e modelagem artificial do ambiente físico, incluindo seu processo de projeto e o produto deste” (Wikipedia, 2020). O Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU) também fala sobre a importância do urbanismo na concepção destes projetos.

De maneira simples, tudo que está relacionado a um ambiente, desde sua concepção até sua integração com o meio externo, pode ser considerado arquitetura.

Conhecer países europeus, por exemplo, é uma experiência que pode se assemelhar a visitar um mundo completamente diferente. O estilo de construção, os materiais, as linhas e curvas dos prédios… tudo é diferente!

De todas as artes, a arquitetura mostra um nível maior de complexidade, por estar ligada à moradia. Muitas pessoas sonham uma vida inteira com a casa própria feita com um determinado estilo!

Segunda arte: a escultura

Provavelmente quando pensa em escultura, vem à sua mente Davi, de Michelângelo. A mais famosa de todas as esculturas, atualmente no Museu de Florença, é um símbolo de toda uma época na história das artes. Entretanto, a história da escultura remonta aos tempos da pré-história.

Já naquela época, o homem era capaz de montar grandes obras para falar sobre suas conquistas, caças e até mesmo representar famílias.

As esculturas podem ser feitas de diversos materiais, dependendo da técnica utilizada. Gesso, mármore, resina, pedra, madeira, aço, ferro são matérias-primas utilizadas. Por muito tempo, elas foram uma das artes mais utilizadas pelo homem para fins de comunicação e também registro histórico.

Pintar é a terceira das artes

A pintura é considerada a terceira arte clássica. São tantos artistas e obras famosas que fica até difícil destacar algum aqui. Da Vinci, Rafael, Van Gogh, Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Portinari, Picasso. Poderíamos montar uma lista do tamanho de um dicionário, tantos os artistas que passaram por essa arte e fizeram história.

Definir pintura é algo muito difícil, devido à característica abstrata desta arte. Grandes momentos da humanidade foram retratados em telas e quadros, desde a Santa Ceia até a Monalisa, passando pelo O Grito e tantas outras obras.

Muitas pessoas têm dificuldades em compreender os aspectos artísticos da pintura, e limitam-se a admirar as obras. Artistas de todo o canto do mundo, historiadores e pesquisadores já pesquisaram sobre a sensação de bem-estar ao estarmos de frente a um quadro. Pintar é mais do que preencher uma tela de cores; é dar forma na tela à alma de um verdadeiro artista.

Quarta arte: a música

Qual a trilha sonora de sua vida? Ou então: qual a trilha sonora da sua semana? Em tempos de streaming, em que as músicas são compartilhadas, organizadas em listas e ouvidas o tempo todo, nem percebemos o quanto elas são antigas.

Dentre os maiores compositores da história, alguns datam de séculos atrás, e a música tem sido contemplada como uma das artes mais versáteis de todas.

Canções podem tratar de amor, rebeldia, amizade, protesto. Podem inclusive nem letra ter e ser apenas algo para relaxar. Muitos procedimentos médicos têm utilizado a música nos últimos anos. Até mesmo cirurgias cerebrais já foram feitas tendo ela como referência da saúde do paciente.

Literatura – a arte número 5

Quem lê, viaja. O slogan da campanha de incentivo à leitura de alguns anos atrás define com precisão a importância dos livros para o ser humano. Se hoje podemos acessar livros com um clique no celular ou leitor digital, durante séculos eles foram feitos de maneira manuscrita, passando de geração para geração.

Conhecer a literatura é saber de que forma a história foi contada ao longo dos anos. Grandes histórias, guerras, amores. Tudo isso foi passado por livros, revistas e até mesmo em folhetins, na chamada literatura de cordel.

O desenvolvimento das artes está diretamente ligado à tecnologia, que proporcionou a propagação em massa. No caso da literatura, as impressoras automáticas e depois a digitalização dos arquivos ajudaram muito neste trabalho. Porém, grandes revoluções da história da humanidade foram iniciadas por livros, e a esperança de um futuro melhor está depositada na capacidade das nações debruçarem-se sobre eles, para aprenderem com os erros do passado e evitarem os do futuro.

Mais do que diversão: Dança é a arte número 6

Dançar para muitos é uma das atividades mais divertidas da vida. Milhões de pessoas ao redor do mundo têm essa arte como principal elemento de lazer.

Porém, a dança sempre foi mais do que isso. Um verdadeiro tesouro nacional, muitas vezes foi determinante para estabelecer classes sociais, por exemplo. Se hoje o funk é a dança da periferia, em outros tempos e regiões do mundo esse título coube a modalidades diferentes de dança. A Lambada já foi até tema de filme como dança proibida.

Culturas são formadas sobre aspectos locais, e para alguns a dança é o principal elemento. Na indústria indiana de cinema, a chamada Bollywood, é fundamental que as produções tenham muita música. Isso acontece porque é hábito local ficar de pé e dançar enquanto os filmes são projetados. Isso explica, por exemplo, a cena final do clássico e premiado “Quem quer ser um milionário?”. Dançar, para os indianos, é colocar para fora todos os sentimentos, bons e ruins. Quer uma definição melhor de arte do que essa?

Cinema, a sétima arte

E chegamos então à famosa sétima arte, o cinema. De todas, talvez a que tenha maior penetração entre os brasileiros. É difícil conhecer alguém que não goste de filmes (e agora séries), e um dos passeios preferidos por jovens e adolescentes é, exatamente, o cinema.

Se hoje estamos nos tempos de mega produções com efeitos especiais, é porque o cinema é uma das artes que mais usou da criatividade em tempos de tecnologias esparsas. Os clássicos filmes de Charles Chaplin eram verdadeiras obras de arte, assim como seus contemporâneos do chamado cinema mudo.

Foi nas telonas que muitas pessoas aprenderam sobre amor, carinho e até mesmo política e esportes. Nas décadas de 60 e 70, era comum passar os gols da rodada nas salas de projeção antes dos filmes.

Cursos de artes da ABRA

Se interessa por alguma das 7 artes clássicas? Quer desenvolver seus talentos para atuar profissionalmente, ou até mesmo para ter um desempenho melhor em suas obras caseiras?

Temos mais de 60 cursos à sua disposição, dividido em 11 áreas: Arquitetura, Arte Urbana, Artes Plásticas, Desenhos e Ilustração, Design de Interiores, Design de Produto, Design Digital, Fotografia, Kids & Teens, Moda e Estilismo, Paisagismo.

Conheça cada um deles e faça agora mesmo sua matrícula!