Enviando Formulário...

No mundo da arte, as pinturas de temas religiosos, especialmente na idade média eram recorrentes. Os motivos eram diversos: desde a própria igreja contratando artistas para retratar assuntos diversos ou então pessoas ricas que cometiam a usura. Pois é justamente este segundo que deu origem a uma das grandes obras de Giotto, “A Adoração dos Reis Magos”. 

A origem da obra 

A igreja da época condenava o pecado da usura e oferecia ao pecador opções de purgá-lo. Apenas para contextualizar: Na Idade Média, usura era usada como sinônimo de juro, e era uma prática proibida, pois acreditava-se que dinheiro não poderia gerar dinheiro.  

Sendo assim, na época, cobrança de juros era considerada uma forma de se explorar uma pessoa que estava passando por uma situação difícil, portanto todos os empréstimos financeiros deveriam ser realizados sem cobrança de nenhuma taxa. Só que no caso Enrico Scrovegni, rico comerciante e também de seu pai Rinaldo, ambos o cometeram. 

Inclusive Rinaldo entrou para a posteridade de uma forma não muito honrosa. Isso porque, é um dos muitos citados no livro “A Divina Comédia”, de Dante Alighieri que estavam no inferno, mais precisamente no sétimo círculo, justamente o da usura. 

Como uma das formas de purgar esse pecado, era o de realizar doações para a Igreja, através de obras de arte e arquitetura, pois assim contribuiriam para a glorificação de Deus e evangelização dos homens. Neste cenário que ele encomenda e paga um conjunto de imagens, que estão sob a forma de afrescos na Capella degli Scrovegni (ou Capela Arena). 

 

Análise da obra A Adoração dos Magos 

Para Vasari, que escreveu em 1550, “Vidas dos mais importantes artistas do renascimento italiano“, Giotto é visto como a própria origem do movimento renascentista. Com isso, a obra feita entre 1304 e 1306 já conta com rupturas em relação a cultura e arte imediatamente anterior a ela.  

Primeiramente podemos destacar a questão do estudo e da observação como forma de criar elementos tridimensionais na pintura. Isso pode ser visto na cobertura de madeira em que estão José, Maria e o menino Jesus. Acredita-se que para criá-la, Giotto usou como referência uma mesa vista de baixo. 

O tridimensional é um dos principais pontos desse afresco, pois o artista buscava justamente dar profundidade à obra, como forma de fazer os observadores “entrarem” nela. Além disso, temos ideias muito mais claras de proporção e volume nas pessoas. Um dos melhores exemplos é Gaspar, que está de joelhos e mesmo com suas vestes, podemos perceber a forma do corpo e o joelho amassando o tecido. 

Esse fato foi uma importante mudança na arte, que até então trazia elementos estáticos. No entanto Giotto passou a dar mais caráter aos santos, que não eram mais figuras paralisadas, e sim pessoas vigorosas e que demonstravam seus sentimentos. O melhor exemplo disso novamente está em Gaspar que coloca sua coroa no chão, aos pés do anjo, e se inclina para beijar os pés de Jesus. 

Outro ponto interessante se refere a estrela de Belém, pois ela não nos remete as imagens que temos dela. Em 1301, o Cometa Halley passou pelo céu da Terra e acredita-se que foi ele na verdade que podemos ver no afresco de A Adoração dos Magos.  

Simbolismos religiosos em A Adoração dos Magos

Nas pinturas sacras, além da própria cena bíblica que se retrata, muitas vezes temos elementos que trazem diversos simbolismos e no caso desta obra, não seria diferente. Para criar esta obra, Giotto se vale especialmente do evangelho de Mateus, para compor a cena da Adoração dos Reis Magos.  

Inclusive a própria cena de Gaspar citada anteriormente se refere a um trecho deste evangelho, que diz “prostrando-se, o adoraram”. Outro exemplo, mas que neste caso se faz recorrente nas obras de Giotto, é o rochedo ao fundo. Trata-se de uma referência ao Salmo de Davi (18.2) no qual se diz: “o Senhor é o meu rochedo”.  

Só que esta referência, assim como o anjo e a estrela, estão presentes no que se convencionou chamar de “novo testamento apócrifo”. Entretanto, se adotaram muitos elementos dele por conta da presença deles no imaginário popular. Como forma de se atender as expectativas do povo, além de ter um grande impacto visual, Giotto fazia seu uso com grande maestria. 

Curiosidades

A obra de Giotto, a Adoração dos Magos, é considerada um afresco verdadeiro. Ou seja, quando ele a pintou, a argamassa ainda estava úmida na capela. Dessa forma, a pintura tornou-se parte integral do edifício. Só que não foi a única, já que todas as outras obras presentes lá, foram feitas da mesma forma.  

Um outro elemento peculiar, é que o pintor nunca havia visto um camelo na vida. Por conta disso, em A Adoração dos Reis Magos, Giotto o fez com olhos azuis, orelhas semelhantes às de um burro e patas de cavalo. 

Uma outra coisa que podemos observar é que originalmente o manto da Virgem Maria não era branco, mas sim azul. Isso pode ser visto, pois a ação do tempo fez com que houvesse uma deterioração na obra. Há também aqui um simbolismo religioso, com o azul significando a vastidão do céu, juntamente com sua postura, que juntas a representam em seu papel simbólico como Rainha do Céu. 

 

Aprenda pintura na ABRA 

Gostou destas curiosidades? E que tal se fosse possível fazer um curso acadêmico completo, com acompanhamento individualizado, no conforto e segurança de sua casa? O curso online “Pintura Acadêmica: Formação Completa” da ABRA é o mais completo no mercado. 

Conheça agora mesmo os benefícios e metodologia do curso clicando aqui e faça sua matrícula agora mesmo!

Autoria: Departamento de Pesquisa e Cultura ABRA

×

Curioso(a) para desvendar os segredos da Inteligência Artística? Nosso e-book exclusivo, "EXPLORANDO O MUNDO DA IA - INTELIGÊNCIA ARTÍSTICA," está repleto de insights e conhecimentos profundos sobre como a IA está transformando o cenário artístico.

Queremos compartilhar esse tesouro de informações com você!

Basta preencher o formulário abaixo para baixar o e-book e começar a jornada de descoberta:

Mas espere, há mais! Além de receber seu e-book, convidamos você a mergulhar em nossos cursos que abrangem a interseção empolgante entre a criatividade e a IA. Prepare-se para expandir seus horizontes e criar de maneira inovadora.

Não perca a oportunidade de explorar a IA e suas possibilidades artísticas. Preencha o formulário e desbloqueie o acesso ao e-book e ao mundo de criatividade que o espera!

×

Regulamento da Campanha – ABRA.ia – Inteligência Artística

ABRA IA – Inteligência Artística

Em uma era digital mergulhe na sua criatividade
Período 01/08/2023 até 30/09/2023

 

1. Bolsas de estudo integrais para indicações:

Os participantes que comprarem um curso presencial e indicarem outra pessoa que também efetuar a compra de um curso presencial serão elegíveis para receber uma bolsa de estudo integral para um curso rápido de sua escolha de acordo com disponibilidade de vagas e datas de início.
Tanto o participante que realizou a indicação quanto o indicado à bolsa de estudo. A bolsa de estudos será concedida após a confirmação do pagamento e matrícula dos dois participantes indicados. Os ganhadores receberão um comunicado da escola informando a disponibilidade da bolsa, assim como os cursos disponíveis e datas de início para a escolha. 

 

2. Compre e Leve: curso de História da Arte online:

Os participantes que adquirirem o Kit de material da ABRA terão como brinde um curso online de História da Arte. O curso online será disponibilizado em até 3 dias úteis após a confirmação do pagamento do Kit de material, a) caso a aquisição seja de um curso de história da arte, deve ser oferecido outro curso equivalente.

 

3. Desconto de 60% em todos os cursos online:

Durante o período da campanha, todos os cursos online terão um desconto de 60% sobre o valor regular.Os participantes poderão se inscrever em quantos cursos online desejarem com o
desconto aplicado. 

 

4. Compre um curso e ganhe outro:

Os 200 primeiros participantes que adquirirem cursos online, terão como brinde acesso a um segundo curso à sua escolha que deverá seguir alguns critérios que são: a) é limitado a 1 curso por pessoa b) a campanha se estenderá até atingir o número de pessoas da estipulado, não tendo prazo definido para encerramento c) caso no período de 60 dias correspondentes a campanha não atinja a quantidade de 200 participantes todos que adquiriram serão contemplados d) é de responsabilidade do participante acompanhar seu e-mail para receber as informações relativas à campanha e) a ABRA não se responsabiliza com a perda de informações enviadas f) o participante que não enviar a opção de curso até a data estabelecida terá seu benefício cancelado. g) o e-mail solicitando a escolha do seu próximo curso será enviado em até 7 dias úteis após a confirmação do pagamento do primeiro curso, através do e-mail disponibilizado na hora da compra h)O acesso ao segundo curso só será disponibilizado após o envio da escolha do curso que siga os critérios descritos neste parágrafo. i) o
prazo para receber o acesso dos cursos é 30/09/2023 j) lista com todos os ganhadores será disponibilizada apenas no fim da campanha. É de responsabilidade do participante acompanhar seu e-mail para receber as informações relativas à campanha. O prazo de resgate da oferta é de 60 dias.

 

5. Bolsa integral de curso online para ação social:

A cada curso presencial adquirido, a ABRA vai disponibilizar uma bolsa integral do curso online História da Arte para um aluno matriculado na rede estadual de ensino médio. A seleção dos alunos beneficiados será realizada em parceria com instituições de educação parceiras. As bolsas serão disponibilizadas ao final da campanha para a instituição de ensino escolhida.